Pacheco aguarda sinalização do governo para evitar devolução de MP que limita créditos de PIS e Cofins

  • 11/06/2024
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, aguarda uma sinalização de negociação do governo Lula para evitar a devolução da MP que limita o uso de créditos de PIS e Cofins, alvo de críticas até da base aliada no Congresso e do empresariado. Duas saídas são apontadas: a reedição da MP com uma noventena, para evitar que já tenha efeito imediato, ou sua substituição por um projeto de lei em regime de urgência. Dentro do Congresso, a avaliação é que a MP, do jeito que foi editada pelo Ministério da Fazenda, será rejeitada. A principal queixa de Rodrigo Pacheco e senadores, transmitida ontem ao presidente Lula, é que o empresariado foi pego de surpresa e a medida provisória 1227 não deveria ter entrado em vigor imediatamente, sendo adotada a noventena, período de 90 dias até que tivesse efeito. Segundo interlocutores, o presidente do Senado avisou o Palácio do Planalto que irá tomar uma decisão ainda nesta terça-feira (11), o que pode acontecer na abertura da sessão de hoje da Casa, sobre a tramitação da medida provisória. Nesta terça-feira (11), o presidente Lula vai receber o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Ricardo Alban, para tratar da MP 1227, que atinge principalmente os setores do agronegócio, combustíveis e indústria farmacêutica. Esses setores não terão condições de utilizar a maior parte de seus créditos de PIS e Cofins no pagamento de outros tributos depois da edição da medida provisória. As distribuidoras de combustíveis calculam a perda neste ano em R$ 10 bilhões, e algumas delas já estão reajustando, por conta disso, os preços da gasolina e do diesel. As refinarias privadas calculam seu prejuízo na casa de R$ 4 bilhões. O setor do agronegócio avalia que sua perda será a maior de todas, na casa de R$ 30 bilhões. Esses números diferem do impacto anunciado pelo Ministério da Fazenda com a edição da MP, de R$ 29 bilhões, dinheiro que seria usado para bancar a desoneração da folha de pagamento de 17 setores da economia e de pequenos municípios, renúncia calculada em R$ 26 bilhões. A compensação foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal, que deu um prazo de 60 dias para o Congresso aprovar uma medida com esse objetivo. Ou seja, caso a atual MP 1227 seja devolvida, teria de ser negociada a aprovação de outras medidas para bancar o custo da desoneração da folha. As medidas que chegaram a ser encaminhadas por parlamentares ao Ministério da Fazenda foram rejeitadas, porque teriam efeito apenas neste ano, e é preciso bancar a desoneração até 2027, quando ela acabaria.

FONTE: https://g1.globo.com/politica/blog/valdo-cruz/post/2024/06/11/pacheco-aguarda-sinalizacao-do-governo-para-evitar-devolucao-de-mp-que-limita-creditos-de-pis-e-cofins.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Top 10

top1
1. Deus Proverá

Gabriela Gomes

top2
2. Algo Novo

Kemuel, Lukas Agustinho

top3
3. Aquieta Minh'alma

Ministério Zoe

top4
4. A Casa É Sua

Casa Worship

top5
5. Ninguém explica Deus

Preto No Branco

top6
6. Deus de Promessas

Davi Sacer

top7
7. Caminho no Deserto

Soraya Moraes

top8
8.

Midian Lima

top9
9. Lugar Secreto

Gabriela Rocha

top10
10. A Vitória Chegou

Aurelina Dourado


Anunciantes